Felicidade numa quarta à tarde

10621899_10204345275022346_369214770_n

Ele assobiava uma canção dos Beatles quando entrou pelo portão. Procurou o apartamento e o achou, não sem um pouco de ajuda. A porta estava aberta e uma das duas amigas o recebeu com um sorriso. O apartamento ainda não estava completamente arrumado, e aquilo não o incomodava. Muito pelo contrário: lhe trazia uma simplicidade confortável. As paredes ainda nuas e os souvenirs empilhados tinham um ar bucólico, como chegar em casa depois de um dia longo.
A anfitriã o recebeu, também com um sorriso. As duas foram cozinhar e ele, como já havia almoçado, correu para o violão cuidadosamente apoiado na parede. Tirou-o da capa e sentiu o cheiro metálico das cordas se misturar com a fumaça da vela que a anfitriã acendera. Tocou os primeiros acordes enferrujados que vieram pela cabeça e, quando percebeu, estavam os três cantando uma música. Um acorde deu lugar a outro e os três cantaram por horas, pulando de harmonia em harmonia, transformando uma canção alegre em uma balada e uma balada em um sorriso.
Eles cantaram por tudo o que passou, por tudo o que passariam e depois cantaram apenas pelo prazer de cantar. E por algumas horas aquele apartamento parecia o Nirvana, e o tempo e a vida não pareciam mais importar.
Pararam, depois de um breve infinito; se despediram, voltando às vidas cotidianas, mas se sentindo meio mundo mais leves.

-Pedro Peres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s